18 de agosto de 2017

Economia fatiada ou compartilhada – o segredo dos empreendedores nos tempos de crise

Economia fatiada e economia compartilhada - Luana Marili


Como ser empreendedor em tempos de crise? A solução é apostar na economia fatiada ou compartilhada para conquistar novos clientes e não perder os antigos.

Vivemos tempos difíceis, a economia do País vai mal e a situação financeira do brasileiro é decadente. A demanda está caindo e com isso comércios estão fechando. As pessoas estão cortando gastos e substituindo produtos e serviços.

Mas calma. Parece, mas não é o fim do mundo. Existe solução.

Reflita sobre as situações abaixo e veja se um desses casos já aconteceu com você:

ü  Você tem vontade de fazer academia, mas não acha justo pagar por 30 dias e ir apenas 2x por semana.

ü  Você tem 4 horas livres até a próxima reunião, gostaria de descansar em um hotel, mas desiste porque teria que pagar uma diária.

ü  Você está viajando e pensa em alugar um carro para ter mais comodidade, porém, gostaria de usá-lo por algumas horas e não pelo dia todo.

ü  Você saiu cedo para trabalhar, bateu aquela fominha, mas só tem algumas moedas no bolso.

Essas são algumas situações que acontecem com todo mundo o tempo todo. Pequenas frustrações enfrentadas por aqueles que querem exercer seu poder de compra, mas não encontram quem as satisfaçam de maneira um pouco mais justa.

É preciso ter visão de negócios, estar atento ao que falta no mercado e suprir esse nicho. Dá para empreender mesmo em tempos de crise.

De que forma? Veremos a seguir.

Esse artigo vai abordar os seguintes temas:

®   Como ser empreendedor em tempos de crise?
®   O que é Economia compartilhada
®   O que é Economia fatiada
·        Case de sucesso: Os famosos bolos de Tânia Calin
·        Ganhe dinheiro com a economia fatiada


Como ser empreendedor em tempos de crise?



Economia fatiada e economia compartilhhada 4
Créditos da imagem: Turbosite

Hoje a dica vai para você que já tem seu negócio e para você que pretende começar um.

É possível empreender com pouco investimento, o que faltar em recursos, você pode compensar usando a criatividade.

Tenho ouvido muitas pessoas reclamando que ninguém está comprando mais nada. Mas será que você está vendendo da forma correta?

Não pense que as pessoas deixaram de comprar, elas continuam consumindo, porém, de maneira mais consciente e reduzida.

Você vai perceber que tudo é uma questão de se reinventar, de criar novas estratégias de vendas.

Essa é a oportunidade de você abrir o leque de opções do seu negócio e aderir a tendência das economias compartilhada e fatiada, que veremos a seguir.


O que é Economia compartilhada



Economia fatiada e economia compartilhada 1
Créditos da imagem: Jogo de damas


A economia compartilhada é um modelo de negócios que consiste em dividir o uso de um serviço ou produto com outras pessoas, diminuindo assim, o custo individual.

Uma vez que você compartilha, os recursos são melhores aproveitados e consequentemente diminuem os desperdícios, colaborando para um mundo mais sustentável.

Recentemente escrevi um post sobre Minha experiência no Dinneer.com: Almoços e jantares compartilhados e contei um pouco sobre as vantagens da economia compartilhada no ramo gastronômico, vale a pena conferir.

Conheça alguns modelos de economia compartilhada:
·   Compartilhamento de apartamento e casas inteiras ou apenas quartos: Airbnb
·        Compartilhamentos de carros: Uber e Blablacar
·        Compartilhamento de ambientes comerciais: Escritórios Co-working
·        Compartilhamento de almoços e jantares: Dinneer
·        Venda de bens materiais usados: Mercado livre, Enjoei, OLX
·        Compras coletivas: Groupon, Peixe urbano

Aposto que você já até fez uso de um desses recursos sem saber que fazem parte da economia compartilhada.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, vamos conhecer também como funciona a economia fatiada. 

O que é Economia fatiada


Economia fatiada e economia compartilhada 2
Créditos da imagem: Vexia


Sem dúvidas é meu modelo de negócio preferido. Como vimos no início desse artigo muitas vezes o cliente tem necessidade de consumir apenas uma parte do que está sendo ofertado no mercado.

A economia fatiada permite ao cliente pagar apenas pela parte que consumiu.

É o que acontece quando você vai á padaria e pede apenas uma fatia de pizza, quando vai ao supermercado e compra duas bananas ao invés do cacho inteiro, quando vai a um restaurante que cobra por kilo ou até mesmo quando vai ao Mc Donalds e pede um lanche sem acompanhamento de bebida e fritas.

Alguns empreendedores entenderam as vantagens desse modelo de negócios e aderiram à nova realidade. É o caso das empresas citadas abaixo:

·        Pegcar: locação de veículos por hora
·     Alooga: locação de ferramentas, eletrônicos e diversos objetos por tempo pré determinado.
·        Gym Pass: pagamento de academias pelo dia utilizado
·        Hotel Quando: pagamento de hotéis por hora utilizada
·        Operadoras de telefonia: pagamento pelo uso da internet ou envio de SMS apenas nos dias que utilizar o serviço.
·        Parkingaki: locação de vagas de garagens por hora

E se prepare porque o melhor desse artigo está por vir. Um case de sucesso seguido de exemplos de como ganhar dinheiro com a economia fatiada.


Case de sucesso: Os famosos bolos de Tânia Calin


Economia fatiada e economia compartilhada - Tânia Calin 1
Créditos da imagem: Tânia Calin Lao


Antes de dar algumas dicas de como você pode ganhar dinheiro nesse modelo de negócios, gostaria de contar para vocês um case de sucesso. É a história da Tânia Calin Lao e sua venda de bolos.

Tânia mora em São Paulo, dedicada dona de casa e mãe de duas lindas moças, teve a ideia de transformar aquilo que mais gostava de fazer em profissão.

Há 6 anos Tânia confecciona bolos sob encomenda para qualquer tipo de comemoração. Começou fazendo bolos simples, foi se aperfeiçoando, aprendendo técnicas de personalidades do ramo como Buddy Valastro.

Hoje Tânia surpreende a todos cada vez que mistura seu talento com sua criatividade e tira do forno mais uma de suas incríveis obras de arte.


Economia fatiada e economia compartilhada - Tânia Calin 2
Buddy Valastro, Tânia Calin e seus bolos.
Créditos da imagem: Tânia Calin Lao


São bolos decorados com tanta maestria que chega dar pena de cortar. Em contra partida, ao serem degustados, não dá vontade de parar comer. Ela tem o dom de fazer bolos lindos, diferentes e principalmente deliciosos.

Mas não pense que Tânia é boa apenas com confeitaria. Ela também é uma empreendedora com grande visão mercadológica e identificou uma grande oportunidade de negócios. Era o início da era dos Bolos de pote.


Economia fatiada e economia compartilhada - Tânia Calin 3
Créditos da imagem: Tânia Calin Lao


Tânia percebeu que os clientes adoravam seus bolos, mas tinham que esperar por alguma data comemorativa, para então, encomendar um bolo inteiro. Foi ai que ela começou a vender os bolos de pote á um preço tentador e suas vendas aumentaram.

Como você pode ver, Tânia teve perspicácia e identificou um novo nicho para o mesmo segmento em que atuava.

Curtam a página Tânia Calin Cakes no facebook, conheça mais sobre o excelente trabalho que ela faz e faça sua encomenda.

Ficou inspirado? Saiba que você também pode encontrar um meio de ganhar dinheiro através da economia fatiada. Vamos conferir?


Ganhe dinheiro com a economia fatiada 


Economia fatiada e economia compartilhada 3
Créditos da imagem: Brasil marketing


Preparei uma lista com algumas ideias de negócios baseados na economia fatiada, para você que quer ganhar dinheiro mas não tem capital para investir.

São alguns exemplos para se inspirar e que espero contribuir para aumentar sua renda familiar. Vamos lá?

·    Alimentos em pote: você pode vender salada de frutas, salada verde, biscoito caseiro e até brigadeiro.
·        Artesanato: crie lembrancinhas para festas e venda sob encomenda.
·        Café da manhã: você pode vender nas ruas o famosinho cafezinho, pedaços de torta, lanches e outros quitutes.
·        Cuidadores de idosos e babas de crianças – também pode ser oferecido seus serviços por hora.
·        Diarista – Ofereça serviços de limpeza por hora
·    Floristas: Se você trabalha nesse ramo, ofereça opções para compras de botões de rosa, pequenos ramalhetes e arranjos mais simples. Nem todos tem condições de comprar pelo buque.
· Personal organizer: ofereça serviços para organizar closets, cozinhas, quarto de brinquedo das crianças.

Tanto a pratica da economia fatiada quanto a compartilhada são excelentes estratégias para o empreendedor girar o negócio e para o cliente economizar e não deixar de consumir aquilo que precisa e gosta


Espero que tenham gostado do post de hoje. Comente, Compartilhe, Recomende no G+ e se inscreva no blog.



OBS: Créditos da imagem de capa, edição de: Luana Marili e Catraca Livre

As imagens utilizadas de terceiros foram devidamente linkadas para o site de origem. Confira o link nos créditos presente na legenda de cada imagem.

Esse post pertence as seções:
Marketing - Descubra com Luana Marili.

Continue lendo ►

17 de agosto de 2017

Carta aberta ao meu futuro chefe

Carta aberta ao meu futuro chefe 1


Essa carta é destinada aos futuros chefes, empregadores e recrutadores que buscam pelo candidato ideal que procuram por um funcionário “perfeito”. Uma carta que traz as verdades que ninguém tem coragem de dizer.



Olá futuro chefe,


“Está em busca de um funcionário exemplar, que não comete erros, adora as segundas feiras, nunca fica doente e sempre obedece a ordens sem questionar?


Então não sou a candidata ideal.


Mas se procura por uma colaboradora motivada, criativa e engajada, gostaria de me apresentar”.




Carta aberta ao meu futuro chefe - Luana Marili 2
Créditos da imagem: Luana Marili
Luana Marili.

26 anos.

Pós graduada em Marketing.

Com experiência nas áreas administrativa e de eventos.





Ainda não nos conhecemos, mas sei que em breve seremos apresentados e gostaria desde então contar-lhe um pouco como será nossa jornada juntos.

Não se preocupe, não tenho mais idade para idealizar em você o chefe perfeito, tão pouco criar expectativas improváveis de serem concretizadas.

Hoje eu só quero conversar com você. Isso mesmo, com VOCÊ. 

Que ainda não sei o nome, sexo e idade. Com você que não sei em qual empresa trabalha, mas que sei que me dará uma oportunidade e será meu futuro chefe.

Queria que soubesse que embora esteja sendo difícil, tenho dado conta lá de casa e que aprendi a me virar sozinha, mas que anseio encontra-lo logo e juntos mudarmos a face dessa história.

Porque eu nunca te vi, mas sei que você é diferente dos outros. Senti sua falta quando me perguntaram onde e com quem trabalho. Quis mencionar nossas conquistas, nossos desafios, mas eles ainda não aconteceram.

E sei que ainda pode demorar um pouco para começarmos a escrever nossa história. Meu País enfrenta uma crise séria e de proporções inimagináveis á uns anos atrás.

Diplomas Luana Marili
Créditos da imagem: Luana Marili

Fui criada com uma forte pressão da sociedade. Me diziam que se eu terminasse o colégio e em seguida me formasse em uma universidade, eu conseguiria o emprego dos sonhos.




Acreditei que iria trabalhar na agência de propaganda do Washington Olivetto, fazer um estágio no marketing da Rede Globo ou ainda ser contrata para trabalhar na empresa do Roberto Justus. Se nada disso desse certo, certamente seria recrutada para trabalhar no Google, Coca Cola ou Facebook.

Como você deve imaginar, não foi bem assim que as coisas aconteceram. Consegui bolsa de estudos em uma universidade privada, me formei com notas altas e no meu primeiro ano formada me vi desempregada.

O País começou a refletir de maneira mais brusca o impacto dessa economia incerta e os índices de desemprego não paravam de subir. Agora em 2017 somos 13,8 milhões de desempregados (até onde se sabe) e as perspectivas de melhoria não são boas.

Fui e ainda sou prejudicada por um sistema falido que boicotou meus planos de vida, por um governo que não funciona. Mas não me coloco no papel de vítima, apesar de todas as dificuldades, sou livre e minhas escolhas sempre vão me definir.

Meu futuro chefe, sei que nada do que aconteceu até agora é culpa sua. Não vou cobrar de você meus sonhos roubados, não vou depositar nas suas costas minhas velhas expectativas e nem meus novos medos. Não descontarei em você minhas antigas frustrações. Não farei nada que possa estragar a bela relação que teremos.

Você vai aparecer no momento certo, sim acredito nesses clichês. Acredito também que Deus vai dar um jeitinho de unir nossos caminhos quando chegar a hora de juntarmos nossas forças e de fazermos acontecer.

Toda essa espera vai valer a pena, esse tempo está me moldando, me tornando um pouco mais capacitada e preparada para quando você me contratar.


Você ainda não sabe mas, vai me contratar.



É você quem será meu futuro chefe.


Carta aberta ao meu futuro chefe 2
Créditos da imagem: Empregos.com

Não sou a mais inteligente, não tenho fluência em inglês, não domino photoshop e não tenho 10 anos de experiência no mercado. Mas sou a mais comprometida, e serei a mais engajada com o sucesso da empresa onde irei trabalhar.

Sou aquela que não vai ficar olhando para o relógio esperando o expediente acabar, que não ficará esperando desesperadamente pela sexta feira.

Porque quando se faz o que gosta, quando se esta comprometido com seu trabalho, você não sente o tempo passar, você não se importa em ficar um pouco mais.

Estou sempre disposta a rodar as engrenagens e colaborar com a equipe, independente de ser ou não parte das minhas responsabilidades. Ser útil é gratificante e enriquece a alma.

Mas espere um momento futuro chefe.

Antes que assine minha carteira de trabalho, saiba que estará contratando uma pessoa movida pela paixão em fazer a diferença, compartilhar conhecimentos e inspirar a capacidade criativa.

Esteja ciente que provavelmente pensarei diferente de você, terei outras perspectivas, outros ideais. E essa é a boa notícia. Deixe que eu te complete, te transborde, que eu te apresente aquilo que falta em você.

Não serei a funcionária perfeita, a essa altura da vida, sabemos que não é assim que as coisas são, que pessoas perfeitas não existem.

Permita-me expressar meus sentimentos, dizer as minhas verdades. Dê uma chance as minhas ideias malucas, me arranque da zona de conforto e me dê espaço para transformar o habitual em algo novo e diferente.

Como boa taurina que sou, vou precisar que você não me deixe sentir fome e entenda que minha irritação quando estou sem comer é culpa dos baixos níveis de serotonina.

Você não precisa se preocupar com minhas TPM, sou boazinha nesse período, nada que uma barrinha de chocolate não resolva.

Você precisa saber com quem estará lidando. Sou uma pessoa que se dedica demais, não gosto de meias palavras, serviço meia boca, coisas inacabadas. Minha maior motivação é ser autora de trabalhos bem feitos, ser responsável por ter feito a diferença.

   
Carta aberta ao meu futuro chefe - Luana Marili 4
Créditos da imagem: Luana Marili
 
ü  Sou organizada
  ü  Resiliente
  ü  Comunicativa
  ü  Comprometida
  ü  Insaciável






Prezo a pontualidade, honro com meus compromissos, mas espero que entenda que sou dependente de um sistema falho de transporte público. Em algum momento irei me atrasar e vai ter um dia que precisarei faltar para ir ao médico.

Em contrapartida, serei EU que estarei ao seu lado depois do expediente, e aos finais de semana em que você estiver em apuros, com o prazo se esgotando, clientes te cobrando e a diretoria te pressionando. E você nem vai precisar pedir minha ajuda.

Vou desmarcar com meus amigos, esquecer que estou cansada, preparar um café, talvez até pedir uma pizza e ficarei para te apoiar. Será assim nas fases mais difíceis.

Vou cometer erros, vou questionar suas ordens quando não entender as razões pelas quais me foram dadas. Nem sempre vou atingir suas expectativas e vai ter dias em que vamos nos estranhar. Não sou submissa, não exerço minhas tarefas roboticamente.

Quero entender porque e para que estou exercendo tal atividade, quero aprender como se faz, quero ter a chance de sugerir melhorias e de participar das reuniões.

Vou atender suas ligações e ouvir com atenção cada solicitação. Acalmar seus nervos, te deixar a par de tudo que esta acontecendo em sua ausência e mostrar que dou conta, que você pode confiar em mim. Serei seu alicerce quando você não puder ser o meu.

Carta aberta ao meu futuro chefe - Luana Marili 3
Créditos da imagem: Luana Marili


Quero que nosso tempo trabalhando juntos seja promissor, gratificante e repleto de cases de sucesso. Que haja reciprocidade, respeito e muita parceria em tudo que fizermos.

Espero por seu contato, ainda não conhecido, porém já, meu querido futuro chefe.


E esse é o post de hoje. Comente, Compartilhe, Recomende no G+ e se inscreva no blog.




OBS: Créditos da imagem de capa: Grupoone

As imagens utilizadas de terceiros foram devidamente linkadas para o site de origem. Confira o link nos créditos presente na legenda de cada imagem.

Esse post pertence as seções:
Minha vida - Conheça com Luana Marili.
Marketing - Descubra com Luana Marili.

Continue lendo ►

★Postagem em destaque★

Entenda porque Prison Break lançou a 5º temporada

★Mais lidas da semana★