17 de novembro de 2017

Livre arbítrio no Whatsapp - Sobre visualizar e não responder


Você tem livre arbítrio para fazer o que quiser da vida, mas e quando usa o whatsapp, você se sente livre ou segue regras sociais? Visualizar uma mensagem e não responder é errado?

Errado porque? Errado até que ponto? É o que vamos analisar juntos.

Para quem não está familiarizado com a expressão chave desse post, “livre arbítrio” é o poder de escolha que cada pessoa tem, isento de qualquer condicionamento influente de terceiros.

Ou seja, é a liberdade que temos para fazer de nossas vidas o que bem entendermos. É a livre escolha, direito de decidir por cada atitude e a certeza de que tudo que fazemos está sujeito á consequências, de que toda ação tem uma reação.

O livre arbítrio no whatsapp, consiste em entender que somos livres tanto para enviar mensagens quanto para visualiza-las e não responde-las.

Nesse artigo vamos analisar juntos as seguintes problemáticas:

ü  Visualizar uma mensagem e não responder é errado?
ü  Limites, bom senso e paciência
ü  Pessoas que demoram para responder
ü  Pessoas que ficam online e não falam com você
ü  Porque tem gente que visualiza e não responde?
ü  Não receber resposta no whatsapp, já é uma resposta.


Então vamos direto à pergunta polêmica...


Visualizar uma mensagem no whatsapp e não responder é errado?


Créditos da imagem: Whatstube


Vamos de Pitty “Quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra”, afinal em algum momento você já deixou de responder alguém #quemnunca.

Cada cabeça, uma sentença, fato! Todos têm o livre arbítrio para decidir responder ou não as mensagens recebidas.

Mas segue como regra geral visualizar uma mensagem e deixar de responder é no mínimo deselegante. Não cabe julgar até que ponto é certo ou errado, tudo depende das circunstâncias. 

Ninguém gosta de ser deixado no vácuo, então cabe aqui a tal da empatia, não fazer com os outros, aquilo que não gostaria que fizessem com você. #bomsenso


A questão agora é outra...

A mesma regra sobre ser “deselegante” ao visualizar uma mensagem de texto e não responder, é válida quando se trata de imagens, links, vídeos ou áudios de conteúdo humorístico?


Limites, bom senso e paciência no whatsapp



Você responde todas as mensagens que recebe no whatsapp?

No meu caso, primeiro dou uma rápida escaneada visual no resumo de todas as mensagens, para então selecionar através daquele radar de senso de urgência e de interesse, o que de fato vou responder.

Meu senso de prioridade tende a filtrar as mensagens menos relevantes que não irão receber resposta (digo “mensagens” e não “pessoas”, porque todos são importantes, cada qual a sua maneira).

E nesse processo de filtragem as mensagens cujo conteúdo são imagens, correntes, vídeos aleatórios e áudios gravados por terceiros (teor humorístico) são automaticamente armazenados. Sendo assim, a chance de resposta é quase nula.

Só vou assistir ou ouvir quando dispor de tempo e de vontade para isso, forma mais pura e simples de exercer o livre arbítrio virtual.

Imagens de gatinhos, bebes, flores e paisagens invadem diariamente meu aplicativo, com mensagens que foram enviadas “para todos os contatos”. Sem a menor personificação, mas com a intenção de ser interpretada como um gesto de gentileza e carinho.

Sou grata àqueles que disponibilizam seu tempo em me incluir na lista de destinatário dessas mensagens. Vejo, agradeço mentalmente e vida que segue.


Mas por dentro sempre fico com a mesma inquietação. As pessoas deveriam refletir “Devo enviar essa imagem? Vai ser útil em alguma coisa?

Muitos não gostam dessa abordagem diária, mas quem tem coragem de dizer? Seria indelicado e grosseiro, neh non?



Créditos da imagem: Mensagens com amor (editado)



Diante da imensa quantidade de “Bom dia” que recebo, exerço o livre arbítrio de visualizar e não responder. Não porque sou má educada, mas por ter feito a escolha de eliminar esse tipo de comunicação em massa e impessoal.

Não deixo de responder aqueles que de fato me ESCREVEM, mas não tenho o hábito de responder á imagens e aqui vão meus mais sinceros votos de sinto muito, caso alguém se sinta ofendido.

Outra questão a ser tratada é sobre ter paciência quando a resposta não vem a jato, vejamos a seguir.

Pessoas que demoram para responder no whatsapp



Créditos da imagem: Buzzfeed via Twitter @srthiagomoraes (editado)


Demorar para responder uma mensagem no whatsapp é falta de interesse ou de tempo?

As vezes, pode não ser nem por uma coisa, nem por outra... Pode ser por pura distração ou a tar da farta de memóriaa, sacomé?

Quando sua amiga ou o crush demora horrores para responder, pode ter acontecido do indivíduo ter lido a mensagem em um momento em que estava ocupado e consequentemente ter se esquecido de responder. Não leve a mal, segue o baile, #fazparte.

É como quando sua mãe pede para você não se esquecer de marcar a consulta e dali 5 min. essa informação é misteriosamente apagada da sua memória, dando lugar aquele episódio fodastico da Netflix. Você sabia que era importante, mas esqueceu de fazer naquele momento... Acontece. É o livre arbítrio dando prioridade para outros afazeres.

Se eu demoro para responder?

Quem me tem no whatsapp sabe... Acontece sim, não vou negar. E acontece com muita frequência, mas não propositadamente.

Acreditem, mas não vivo 24 hr na internet. Grosserias a parte, vale ressaltar que alguns trabalhos exigem uma comunicação imediata, e nesses momentos em que estou ali negociando algum job através do whatsapp, de fato não tenho o hábito de responder outras pessoas.

Também tenho a péssima mania de visualizar e esquecer de responder. Nem é por mal ou por falta de interesse, sou do tipo de pessoa que respondo mentalmente e as vezes esqueço de materializar a resposta rs.


Créditos da imagem: Luana Marili


Algumas mensagens nos pegam desprevenidos, precisamos de tempo para absorver o conteúdo e encontrar a melhor maneira de nos expressar.

É comum as pessoas simplesmente demorarem para responder, e você se deparar com o tão humilhante “cri cri”. O que faz com que o emissor da mensagem se sinta desprezado e ignorado. As vezes até arrependido do que escreveu, tendo que enfrentar uma luta onde o cérebro diz ao coração:


“Sua mensagem foi visualizada, ignorada e seu papel de trouxa foi entregue com sucesso”


A maneira mais simples de evitar esse constrangimento desnecessário é dar ao menos uma satisfação. “Já respondo”, “vou ver e te falo”, “perai”, convenhamos, qualquer coisa é melhor do que aquele maldito silêncio.

Até aqui concordamos (mesmo que em partes) que não é legal deixar uma pessoa sem resposta certo? Salvo, é claro, aqueles impertinentes que invadem seu espaço, são obsessivos, insistentes, desrespeitosos e chaaatos. O que nesse caso deveriam estar bloqueados e não deixados sem resposta. 

Contudo, por vezes tenho que lidar com a bendita acusação "Porque você fica online e não fala comigo?"


Pessoas que ficam online e não falam com você



Créditos da imagem: Imgrum via @anneliseloyola


De novo, exerço o livre arbítrio de navegar pelo whatsapp sem iniciar uma conversa ou  responder mensagens naquele momento.

É como abrir a geladeira para pensar, você abre, olha tudo que tem ali dentro e conclui “Quero comer nada não”.

Isso quando você sabe que não tem nenhuma novidade ali dentro e ainda assim abre e fica olhando, como se algo mágico fosse aparecer.
Com o whatsapp não é diferente, tem vezes que abro o aplicativo, olho e penso “Quero conversar agora não”.

Sim, tenho a pachorra de ficar online (porque infelizmente o app não tem a opção de entrar offline como no amado MSN) e me dar ao direito de não falar com ninguém. Respondo ao meu tempo, quando posso e quando eu quero.

E para piorar costumo deixar o web.whatsapp conectado no notebook enquanto uso o celular para outros fins. As pessoas me veem online, mas sequer estou na frente do aparelho.


“Estar online não é o mesmo que estar disponível” #fikadica


Deixar de responder em um determinado momento não é ser ignorante, metido ou mal educado. Compreenda que enquanto você esta disponível, o outro pode estar ocupado.


Porque tem gente que visualiza e não responde no whatsapp...



Normalmente a culpa é da falta!

·        Falta de tempo
·        Falta de vontade
·        Falta de paciência
·        Falta de interesse
·        Falta de reciprocidade

Mas também pode ser por outras razões:

·        Necessidade de pensar melhor na resposta
·        Demora no processo de mandar print para a amiga analisar
·        Joguinhos de atenção: demorar para responder propositadamente
·        Estar ocupado ou até acompanhado.
·        Estar magoado ou evitando determinado assunto

E nesse ponto, gostaria de chama-los para uma rápida reflexão.


Não receber resposta no whatsapp, já é uma resposta.



Créditos da imagem: Luana Marili


Babys, entendam uma coisa.

Não receber uma resposta no whatsapp, é o mesmo que receber! Um discreto, silencioso e ponderado recado:


“Agora não posso responder”

ou simplesmente:

“Não quero responder”.


Juro, é simples assim. O “não” mais sutil que você pode dar e receber no mundo virtual. E não tem nada de errado nisso.

Você exerceu seu livre arbítrio de mandar um recado e outro exerceu seu direito em não responder.

Ninguém tem a obrigação de corresponder as suas expectativas e cada um tem o seu tempo para responder uma mensagem assim como tem o direito de não o fazer, sem represálias, sem julgamentos.

As pessoas ficam desapontados quando não recebem a resposta que esperavam, irritados quando a pessoa demora para responder e indignados se não houver resposta. Criam expectativas e ficam ansiosas por respostas.


“Crie unicórnios mágicos, jumentos voadores, poneys da Barbie ou até cavalos marinho, mas não crie a porra da expectativa”.


Se fossemos responder o turbilhão de mensagens á qual somos bombardeados diariamente, não faríamos outra coisa da vida.

Você tem o livre arbítrio de mandar quantas mensagens quiser, bombardear seus amigos com vídeos, memes e áudios. Provavelmente você não acha que isso é falta de  senso, invasão de espaço, perturbação. Nãaao, imagina, logo você?!

Então entenda que também não é o fim do mundo e nem o cúmulo da falta de respeito, quando o outro visualiza e não responde suas mídias.


Créditos da imagem: Statusimagens

Sei que você esta lendo esse post nesse momento, você visualizou essa mensagem certo? Mas, você não vai responder, não vai comentar, as vezes nem vai curtir.


Está vendo? Visualizar e não responder, é mais comum do que você imaginava e esta longe de ser o fim do mundo.


Créditos da imagem: Dopl3r através de @NazaréAmarga



Fazemos isso o tempo todo, nos aplicativos, nas redes sociais e na vida. Por vezes deixamos as pessoas falando sozinhas na rua, ignoramos o que o colega de trabalho esta dizendo, não prestamos atenção no professor, na nossa mãe e no pedido de atenção de nossos cachorros.

Julguem menos, amem mais. Não critique os outros pelas atitudes que você mesmo faz.

Exerça seu livre arbítrio não só no whatsapp como na vida. Sim você é livre para fazer o que quer, aproveite essa liberdade, você não é obrigado a nada! Só tenha consciência dos seus atos, porque você colher tudo aquilo que um dia plantou.



Espero que gostem desse post. Comente, Compartilhe, Recomende no G+ e se inscreva no blog.

Beijos reais para vocês... Porque “beijinhos de luz” me irritam.




OBS: Créditos da imagem de capa: Luana Marili

As imagens utilizadas de terceiros foram devidamente linkadas para o site de origem. Confira o link nos créditos presente na legenda de cada imagem.

Esse post pertence as seções:
Comportamentos - Entenda com Luana Marili.
Continue lendo ►

18 de agosto de 2017

Economia fatiada ou compartilhada – o segredo dos empreendedores nos tempos de crise

Economia fatiada e economia compartilhada - Luana Marili


Como ser empreendedor em tempos de crise? A solução é apostar na economia fatiada ou compartilhada para conquistar novos clientes e não perder os antigos.

Vivemos tempos difíceis, a economia do País vai mal e a situação financeira do brasileiro é decadente. A demanda está caindo e com isso comércios estão fechando. As pessoas estão cortando gastos e substituindo produtos e serviços.

Mas calma. Parece, mas não é o fim do mundo. Existe solução.

Reflita sobre as situações abaixo e veja se um desses casos já aconteceu com você:

ü  Você tem vontade de fazer academia, mas não acha justo pagar por 30 dias e ir apenas 2x por semana.

ü  Você tem 4 horas livres até a próxima reunião, gostaria de descansar em um hotel, mas desiste porque teria que pagar uma diária.

ü  Você está viajando e pensa em alugar um carro para ter mais comodidade, porém, gostaria de usá-lo por algumas horas e não pelo dia todo.

ü  Você saiu cedo para trabalhar, bateu aquela fominha, mas só tem algumas moedas no bolso.

Essas são algumas situações que acontecem com todo mundo o tempo todo. Pequenas frustrações enfrentadas por aqueles que querem exercer seu poder de compra, mas não encontram quem as satisfaçam de maneira um pouco mais justa.

É preciso ter visão de negócios, estar atento ao que falta no mercado e suprir esse nicho. Dá para empreender mesmo em tempos de crise.

De que forma? Veremos a seguir.

Esse artigo vai abordar os seguintes temas:

®   Como ser empreendedor em tempos de crise?
®   O que é Economia compartilhada
®   O que é Economia fatiada
·        Case de sucesso: Os famosos bolos de Tânia Calin
·        Ganhe dinheiro com a economia fatiada


Como ser empreendedor em tempos de crise?



Economia fatiada e economia compartilhhada 4
Créditos da imagem: Turbosite

Hoje a dica vai para você que já tem seu negócio e para você que pretende começar um.

É possível empreender com pouco investimento, o que faltar em recursos, você pode compensar usando a criatividade.

Tenho ouvido muitas pessoas reclamando que ninguém está comprando mais nada. Mas será que você está vendendo da forma correta?

Não pense que as pessoas deixaram de comprar, elas continuam consumindo, porém, de maneira mais consciente e reduzida.

Você vai perceber que tudo é uma questão de se reinventar, de criar novas estratégias de vendas.

Essa é a oportunidade de você abrir o leque de opções do seu negócio e aderir a tendência das economias compartilhada e fatiada, que veremos a seguir.


O que é Economia compartilhada



Economia fatiada e economia compartilhada 1
Créditos da imagem: Jogo de damas


A economia compartilhada é um modelo de negócios que consiste em dividir o uso de um serviço ou produto com outras pessoas, diminuindo assim, o custo individual.

Uma vez que você compartilha, os recursos são melhores aproveitados e consequentemente diminuem os desperdícios, colaborando para um mundo mais sustentável.

Recentemente escrevi um post sobre Minha experiência no Dinneer.com: Almoços e jantares compartilhados e contei um pouco sobre as vantagens da economia compartilhada no ramo gastronômico, vale a pena conferir.

Conheça alguns modelos de economia compartilhada:
·   Compartilhamento de apartamento e casas inteiras ou apenas quartos: Airbnb
·        Compartilhamentos de carros: Uber e Blablacar
·        Compartilhamento de ambientes comerciais: Escritórios Co-working
·        Compartilhamento de almoços e jantares: Dinneer
·        Venda de bens materiais usados: Mercado livre, Enjoei, OLX
·        Compras coletivas: Groupon, Peixe urbano

Aposto que você já até fez uso de um desses recursos sem saber que fazem parte da economia compartilhada.

Seguindo a mesma linha de raciocínio, vamos conhecer também como funciona a economia fatiada. 

O que é Economia fatiada


Economia fatiada e economia compartilhada 2
Créditos da imagem: Vexia


Sem dúvidas é meu modelo de negócio preferido. Como vimos no início desse artigo muitas vezes o cliente tem necessidade de consumir apenas uma parte do que está sendo ofertado no mercado.

A economia fatiada permite ao cliente pagar apenas pela parte que consumiu.

É o que acontece quando você vai á padaria e pede apenas uma fatia de pizza, quando vai ao supermercado e compra duas bananas ao invés do cacho inteiro, quando vai a um restaurante que cobra por kilo ou até mesmo quando vai ao Mc Donalds e pede um lanche sem acompanhamento de bebida e fritas.

Alguns empreendedores entenderam as vantagens desse modelo de negócios e aderiram à nova realidade. É o caso das empresas citadas abaixo:

·        Pegcar: locação de veículos por hora
·     Alooga: locação de ferramentas, eletrônicos e diversos objetos por tempo pré determinado.
·        Gym Pass: pagamento de academias pelo dia utilizado
·        Hotel Quando: pagamento de hotéis por hora utilizada
·        Operadoras de telefonia: pagamento pelo uso da internet ou envio de SMS apenas nos dias que utilizar o serviço.
·        Parkingaki: locação de vagas de garagens por hora

E se prepare porque o melhor desse artigo está por vir. Um case de sucesso seguido de exemplos de como ganhar dinheiro com a economia fatiada.


Case de sucesso: Os famosos bolos de Tânia Calin


Economia fatiada e economia compartilhada - Tânia Calin 1
Créditos da imagem: Tânia Calin Lao


Antes de dar algumas dicas de como você pode ganhar dinheiro nesse modelo de negócios, gostaria de contar para vocês um case de sucesso. É a história da Tânia Calin Lao e sua venda de bolos.

Tânia mora em São Paulo, dedicada dona de casa e mãe de duas lindas moças, teve a ideia de transformar aquilo que mais gostava de fazer em profissão.

Há 6 anos Tânia confecciona bolos sob encomenda para qualquer tipo de comemoração. Começou fazendo bolos simples, foi se aperfeiçoando, aprendendo técnicas de personalidades do ramo como Buddy Valastro.

Hoje Tânia surpreende a todos cada vez que mistura seu talento com sua criatividade e tira do forno mais uma de suas incríveis obras de arte.


Economia fatiada e economia compartilhada - Tânia Calin 2
Buddy Valastro, Tânia Calin e seus bolos.
Créditos da imagem: Tânia Calin Lao


São bolos decorados com tanta maestria que chega dar pena de cortar. Em contra partida, ao serem degustados, não dá vontade de parar comer. Ela tem o dom de fazer bolos lindos, diferentes e principalmente deliciosos.

Mas não pense que Tânia é boa apenas com confeitaria. Ela também é uma empreendedora com grande visão mercadológica e identificou uma grande oportunidade de negócios. Era o início da era dos Bolos de pote.


Economia fatiada e economia compartilhada - Tânia Calin 3
Créditos da imagem: Tânia Calin Lao


Tânia percebeu que os clientes adoravam seus bolos, mas tinham que esperar por alguma data comemorativa, para então, encomendar um bolo inteiro. Foi ai que ela começou a vender os bolos de pote á um preço tentador e suas vendas aumentaram.

Como você pode ver, Tânia teve perspicácia e identificou um novo nicho para o mesmo segmento em que atuava.

Curtam a página Tânia Calin Cakes no facebook, conheça mais sobre o excelente trabalho que ela faz e faça sua encomenda.

Ficou inspirado? Saiba que você também pode encontrar um meio de ganhar dinheiro através da economia fatiada. Vamos conferir?


Ganhe dinheiro com a economia fatiada 


Economia fatiada e economia compartilhada 3
Créditos da imagem: Brasil marketing


Preparei uma lista com algumas ideias de negócios baseados na economia fatiada, para você que quer ganhar dinheiro mas não tem capital para investir.

São alguns exemplos para se inspirar e que espero contribuir para aumentar sua renda familiar. Vamos lá?

·    Alimentos em pote: você pode vender salada de frutas, salada verde, biscoito caseiro e até brigadeiro.
·        Artesanato: crie lembrancinhas para festas e venda sob encomenda.
·        Café da manhã: você pode vender nas ruas o famosinho cafezinho, pedaços de torta, lanches e outros quitutes.
·        Cuidadores de idosos e babas de crianças – também pode ser oferecido seus serviços por hora.
·        Diarista – Ofereça serviços de limpeza por hora
·    Floristas: Se você trabalha nesse ramo, ofereça opções para compras de botões de rosa, pequenos ramalhetes e arranjos mais simples. Nem todos tem condições de comprar pelo buque.
· Personal organizer: ofereça serviços para organizar closets, cozinhas, quarto de brinquedo das crianças.

Tanto a pratica da economia fatiada quanto a compartilhada são excelentes estratégias para o empreendedor girar o negócio e para o cliente economizar e não deixar de consumir aquilo que precisa e gosta


Espero que tenham gostado do post de hoje. Comente, Compartilhe, Recomende no G+ e se inscreva no blog.



OBS: Créditos da imagem de capa, edição de: Luana Marili e Catraca Livre

As imagens utilizadas de terceiros foram devidamente linkadas para o site de origem. Confira o link nos créditos presente na legenda de cada imagem.

Esse post pertence as seções:
Marketing - Descubra com Luana Marili.

Continue lendo ►

★Postagem em destaque★

Minha experiência no Dinneer.com: Almoços e jantares compartilhados

★Mais lidas da semana★